Notícias

Voltar

08/11/2016

CIEE capacita mais de 40 aprendizes

O Centro de Integração Empresa Escola (CIEE) promove capacitação para mais de 40 alunos contratados pela Lei do Aprendiz em Catanduva, onde o programa é realizado há mais de 10 anos. Com carga horária que varia entre seis ou quatro horas, com duração de até 24 meses, os alunos recebem capacitações nos módulos de ocupações administrativas; práticas bancárias e, comércio e varejo.

Jhonata Wilker Silva Cruz, de 18 anos, está há oito meses está no Programa e garante que a experiência mudou muito a sua vida: “Eu sou aprendiz no varejo e nunca tinha trabalhado nessa área. Quando entrei aqui pensei que não ia dar conta, mas foi totalmente ao contrário. Hoje amo o que faço e minha vida mudou completamente”, diz Cruz. A experiência não foi só na teoria como também na prática e abrangeu várias áreas. “Eu sempre tinha trabalhado no administrativo e agora fui capacitado para tudo. Aprendi marketing, ética, cidadania e estou muito feliz por fazer parte desse programa”, avalia Cruz.

A aprendiz Gabriela Duarte, 18 anos, está há quatro meses no programa e já possui contrato de dois anos. Para Gabriela aprender sobre atendimento ao cliente foi o maior destaque para fazer a diferença em seu emprego.“Aprendi sobre atendimento e pra mim foi de extrema importância porque eu não tinha muita paciência. E aqui a gente não aprende só a teoria a gente aprende a prática junto.”, conta. 

"Apoiadas pela Lei 10.097/2000, essas empresas contribuem para a formação de jovens autônomos. Ao ingressar no Aprendiz Legal, a empresa assume o papel de agente transformador, fomentando a formação profissional e cidadã dos jovens que estudam e trabalham, recebendo, ao mesmo tempo, formação na profissão para a qual estão se capacitando. E a capacitação é realizada no CIEE”, informa Jerusa Leal, instrutora do CIEE. “Os aprendizes, além da capacitação teórica em sala de aula e a prática nas empresas e órgãos públicos participam de atividades extracurriculares - passeios de lazer, mas também de responsabilidade social, como visitas a instituições de caridades ou trabalhos de pesquisa que envolvam temas ligados à própria comunidade e atualidade”, explica Jerusa.

Podem participar do programa jovens de 14 a 24 anos incompletos que estejam cursando o Ensino Fundamental ou o Ensino Médio. A idade máxima prevista não se aplica a aprendizes com deficiência.

fonte: O regional

Voltar

Realização

Implementação